Vice-prefeito destaca avanços no saneamento básico em Cuiabá

11
Vice Prefeito e Sec. de Obras de Cuiabá Jose Roberto Stopa
Compartilhar

DA REDAÇÃO

O vice-prefeito e secretário de Obras Públicas, José Roberto Stopa, afirmou que a meta do Município é transformar Cuiabá em uma das cidades brasileiras com o maior índice de tratamento de esgoto. Segundo ele, a gestão tem se empenhado para que, até o ano de 2024, esse objetivo seja alcançado.

Durante a inauguração da nova loja de atendimento da Águas Cuiabá, o vice-prefeito lembrou que até há pouco tempo muitos governantes defendiam o pensamento de que saneamento básico era obra que não aparecia e, por isso, se aplicavam tão pouco recursos nessa área. No entanto, desde 2017, essa ideia foi excluída da Prefeitura de Cuiabá, que passou a aplicar uma série de investimentos em ações contínuas.

“A nossa gestão sabe a importância e o que isso trará de benefícios. Sustentabilidade, respeito ao meio ambiente, preservação dos nossos rios e córregos, é impossível de mensurar em valor financeiro. O que estamos afirmando é que Cuiabá, a partir de 2024, estará entre as cidades brasileiras com os maiores índices de tratamento de esgoto. É motivo de felicidade para o Município e também para a população ver essa transformação acontecendo”, disse Stopa.

De 2017 a 2020, mais de R$ 500 milhões já foram investidos em saneamento básico, resultando em um salto de 33% para 64% na cobertura do sistema de tratamento de esgoto. Isso foi possível graças a modernização e ampliação da Estação de Tratamento de Água (ETA) Ribeirão Lipa, da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) Dom Aquino, da ETE Tijucal e da construção da ETA Sul que, somadas, atendem cerca de 470 mil cuiabanos.

A previsão é de que Cuiabá chegue ao ano de 2024 tendo investido a inédita e expressiva marca de R$ 1,2 bilhão em água e esgoto. Conforme o secretário de Obras Públicas, muitas pessoas ainda não têm a dimensão dos avanços que vêm sendo conquistados. “Na maioria das vezes, quando o cidadão vê a rua sendo aberta, a primeira reação é pensar que a cidade está sendo destruída”, comentou.

Para ele, é necessário fazer a população ter o entendimento de que todas as escavações trazem consigo algo extremamente valioso para os mais de 600 mil habitantes da cidade. “Cuiabá será uma cidade diferente. Diferente inclusive na saúde, pois saneamento básico também é saúde. Vamos continuar cobrando, mas nutrindo um bom relacionamento com a concessionária, para que o resultado final chegue a todos os cuiabanos”, pontuou.

Compartilhar