Sistema da Sesp acompanha em tempo real incêndios florestais e queimadas urbanas

150
Compartilhar
Além da Capital, outras sedes descentralizadas de monitoramento estão instaladas nas cidades de Barra do Garças, Tangará da Serra, Sinop e Cáceres
POR REDAÇÃO

Em menos de 24 horas, o sistema de monitoramento de incêndios florestais da Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp) registrou 501 ocorrências de focos de calor em áreas urbanas e rurais de Mato Grosso. O registro compreende o período das 18 horas da quinta-feira (25) até às 8 horas desta sexta-feira (26.07).

Nesta semana foi instalado na secretaria, o Comitê Temporário Integrado Multiagências de Coordenação Operacional (Ciman), unidade que vai coordenar as ações de prevenção e repressão a incêndios em todo o Estado. A criação do Comitê foi publicada no Diário Oficial do Estado do dia 12 de julho pelo Decreto nº 174.

O coordenador-geral do monitoramento, tenente-coronel BM Dércio Santos da Silva, informa que os focos são acompanhados em tempo real, por meio do sistema de monitoramento do Instituto Nacional de Pesquisa Espaciais (Inpe) e após detectar o incêndio é solicitado apoio mais próximo para conter o avanço das chamas.

Ainda segundo coordenador, além da Capital, outras sedes descentralizadas de monitoramento estão instaladas nas cidades de Barra do Garças, Tangará da Serra, Sinop e Cáceres.

“Nosso objetivo é impedir o avanço de queimadas no Estado e evitar prejuízos ao meio ambiente, ao patrimônio particular e aos humanos. No momento que é detectado um incêndio acionamos as unidades operacionais locais, brigadas mistas, base descentralizada e o Centro Integrado de Operações Aéreas [Ciopaer]”, explica.

Na quarta-feira (24.07), na Sesp, foi realizado um encontro com representantes que vão atuar no combate às queimadas em todo o Estado. Em Mato Grosso, o trabalho é feito em parceria entre Ibama, ICMbio, Secretaria de Estado de Meio Ambiente, Corpo de Bombeiros, Polícia Militar Ambiental, Delegacia Especializada do Meio Ambiente (Dema) e Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec). A Defesa Civil do Estado é solicitada quando o incêndio atinge grande proporção, que pode se transformar em desastre.

Proibição de queimadas

O decreto que institui o período proibitivo de queimadas no Estado de Mato Grosso, entre 15 de julho e 15 de setembro de 2019, foi publicado em 15 de julho, no Diário Oficial. Fica proibido o uso de fogo em áreas rurais para limpeza e manejo durante estes meses, levando em consideração o risco de incêndios florestais de grandes proporções.

A normativa se fundamenta na Lei Complementar nº 233, de 21 de dezembro de 2005. No perímetro urbano, as queimadas são proibidas durante todo o ano. Na área rural ficam suspensas, entre 15 de julho e 15 de setembro, as licenças de queima controlada emitidas pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente.

Denúncias e atendimentos

O atendimento a ocorrências de incêndios florestais deve ser acionado pelo número 193 do Corpo de Bombeiros. Já em caso de denúncias de queimadas nas áreas rurais, o cidadão deve entrar em contato pelo 0800 647 7363.

Queimadas urbanas devem ser denunciadas na prefeitura do município de ocorrência, nas secretarias municipais de meio ambiente ou defesa civil municipal.

Compartilhar