Delegado diz que motorista transcorreu 49 km com cadáver em carroceria de S-10

7
Compartilhar

O delegado Cristian Cabral, da Delegacia Especializada de Delitos de Trânsito (Deletran), afirmou que José Eduardo de Oliveira, 43 anos, teria transcorrido por 49 km com o corpo de Fábio Pereira Andrade, 30 anos, na carroceria da caminhonete S-10 que dirigia. O acidente aconteceu no último sábado (6), no bairro Jardim dos Ipês, em Cuiabá. O motorista foi indiciado pelo Polícia Civil pelo crime de homicídio doloso – quando há intenção de matar.

NNo início da tarde desta sexta-feira (12), foram publicadas imagens que flagraram o momento do atropelamento. Na gravação, é possível ver o momento que José invade e pista contrária bate de frente com o motociclista. Após a batida, o homem fugiu com o corpo da vítima na carroceria.

De acordo com o delegado, o investigado teria transcorrido aproximadamente 50 km. Além disso, a autoridade policial afirma que o homem só foi preso, pois após o percurso percorrido voltou ao local do acidente.

“Essa fuga (do investigado) teria transcorrido por 49 km. No final, ele retorna exatamente ao local do acidente, onde termina preso”, disse o delegado.

Após a prisão, José foi conduzido à Central de Flagrantes de Cuiabá, onde se negou a fazer o teste de alcoolemia sob alegação de que não produziria provas contra si mesmo. Ele foi autuado em flagrante pelos crimes de homicídio culposo na direção de veículo e omissão de socorro, previstos no Código de Trânsito Brasileiro.

O procedimento foi encaminhado para Deletran, onde foi instaurado inquérito policial e com base nas novas provas coletadas foi realizado o indiciamento do suspeito de homicídio doloso, previsto no artigo 121 do Código Penal, além dos crimes de omissão de socorro, fuga de local de crime e embriaguez ao volante.

O delegado da Deletran, Christian Alessandro Cabral, afirmou que devido às condições apresentadas no acidente, o suspeito assumiu o risco de produzir o resultado de morte da vítima.

“Desta forma, o indiciamento foi alterado de homicídio culposo no trânsito, previsto no CTB, para o homicídio doloso, cuja pena pode variar de 6 a 20 anos, além das demais condutas ilícitas praticadas pelo suspeito no momento dos fatos”, disse o delegado.

POR HYPER NOTÍCIAS.

Compartilhar