Com 100% das urnas apuradas, Abílio e Emanuel vão para o segundo turno

4
Compartilhar

POR HYPERNOTÍCIAS

Com 100% das urnas apuradas, os candidatos à prefeitura de Cuiabá Abílio Júnior (Podemos) e Emanuel Pinheiro (MDB) disputam o segundo turno da eleição municipal. Até o momento, Abílio teve 90.631 mil votos (33,72%), enquanto Emanuel ficou em segundo lugar com 82.367 mil votos (30,64%), segundo dados do Tribunal Regional Eleitoral.

Em relação aos outros candidatos, Gisela Simona conquistou 52.191 mil (19,42%),  Roberto França (Patriota) teve 25.523 mil (9,49%), Julier Sebastião (PT) com 8.409 (3,13%)m Aécio Rodrigues (PSL) teve 5.659 votos (2,11%), Paulo Grando (Novo) e Gilberto Lopes Filho (Psol) tiveram, respectivamente, 2.815 (1,05%) e 1.216 (0,45%) mil votos.

Confiante, ao votar neste domingo (15), durante a tarde, o emedebista ressaltou que as pesquisas já mostravam a aprovação do seu nome nas urnas.

“Se você ver nas pesquisas o índice de manifestação espontânea, é incrivelmente alta. Na estimulada também é alta. Uma parcela enorme da população cuiabana aprova a nossa gestão popular, democrática, de administra para todos, sem discriminar ninguém, mas que prioriza os mais carentes, os mais humildes. Que busca a inclusão e a justiça social, que administra dos bairros para o Centro”, pontuou o prefeito.

Também confiante, Abílio, que é vereador por Cuiabá e enfrenta uma eleição pela segunda vez, afirmou que acredita no desejo da população e que essa eleição será marcada pela luta do “bem contra o mal”, que citou como o adversário Emanuel Pinheiro.

“Estou confiante na justiça divina e estou confiante no desejo da população. Se a gente chegar ao segundo turno, é todo mundo contra o ‘paletó’. É o bem contra o mal. Eu acredito que todos que forem eleitores em Cuiabá e quiserem nos apoiar será bem vindo. Não é hora de entregar ninguém para o ‘paletó’, é a hora de resgatar todo mundo para salvar a cidade”, opinou Abílio.

A campanha entre os candidatos foi marcada por desavenças e ataques. De oposição, Abílio já trocou ofensas com Emanuel diversas durante sua propaganda eleitoral gratuita, como colocar um ator contato notas de R$ 100 reais, se referindo ao adversário. Já Emanuel vinculou Abílio à sua madrasta, acusada de ser funcionária fantasma da Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT).

De acordo com o Tribunal Superior Eleitoral, Emanuel já gastou R$ 4,7 milhões e possui R$ 1,4 milhão arrecadado. Já Abílio Júnior gastou R$ 332 mil em sua campanha, com um total de R$ 411 mil arrecadados. Durante o segundo turno, os candidatos possuem um limite legal de gastos de R$ 4,1 milhão, enquanto no 1º turno os candidatos podiam gastar até R$ 10,2 milhões.

Compartilhar